Graça

As vezes (sempre) me pergunto como Deus pode ser tão bondoso com nós, filhos dEle. Filhos que erram (e como erram) pecam, pedem perdão, pecam, pedem perdão (e esse vem e vai durará até a volta de Jesus).
Filhos esses que são tão egoístas, que esquecem de agradecer por cada livramento, cada cura, cada milagre, e cada acontecimento aparentemente pequeno.
Filhos que trabalham, estudam, fazem academia, fazem inglês, se esforçam para fazer o dia ter mais que 24h, mas pra orar estão “sem tempo”, estão “cansados”.
Filhos que agradecem o cônjuge por ter lavado a louça, que parabenizam os filhos por terem sidos educados com a vizinha, agradam sua equipe de trabalho pelos bons resultados do mês, mas esquecem de agradecer a Deus pelo dom da vida, pelo deitar, pelo levantar, pelo respirar.
Mas e quando a tribulação vem? Quando o deserto dá as caras, quando se desestrutura, o que faz? Ah sim, lembramos que possuímos um Deus que pode transformar nossa vida por completo e restituir aquilo que perdemos. E como Ele nos espera? SIM, DE BRAÇOS ABERTOS. E ainda coloca sandálias nos nossos pés e anéis em nossos dedos. Ele nos dá tudo isso mesmo nós sendo tão medíocres como filhos.

Como entender esse Deus de amor e misericórdia? Como absorver o por que dessa Graça proporcionada? Graça é um favor imerecido, nunca entenderemos. Ela constrange e nos faz ver quão pequenos nós somos, e como Ele, é infinitamente BOM!

Beijos, Ká